sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Aos que fizeram a minha história em 2011

A todos os que estiveram ao meu lado em todos os momentos, a todos que tive o prazer de conhecer, trocar histórias, conversas, abraços, beijos e sorrisos, a todos que cruzaram o meu caminho, a TODOS mesmo: muito obrigado. Vocês me fizeram o que sou hoje. Não seria a Amanda que sou se não tivesse o prazer de viver – nem que por um dia, uma conversa, uma noite, um instante – ao lado de vocês. Acredito que cada um, cada pedacinho de cada um de vocês me montaram, preencheram o meu quebra-cabeça – que sei que está longe do fim. É assim que vejo a vida, que me vejo: um quebra-cabeça, uma concha de retalho.


É aquela velha história de que quem passa em nossa vida nunca passa só, sempre deixa um pedacinho e leva um pedacinho da gente. Eu espero que tenha deixado alguns pedacinhos meus em vocês também, assim nem que seja apenas uma marquinha, uma lembrança, uma palavra, qualquer coisa. Nem que não seja de toda boa, porque até os pedacinhos não-bons (veja só, não chamei-os de ruim) foram e são essências na minha história. Nenhuma mocinha tem historia pra contar se não tiver uma boa vilã no seu pé – não que eu esteja me chamando de mocinha, longe de mim.

Por isso, obrigada até aos que me deixaram abalada, que me decepcionaram ou me fizeram chorar, vocês também ajudaram e me ensinaram muito – e por mais que não pareça, eu estou sendo sincera! Até mesmo aos que me dão muitos motivos pra sorrir todo dia, mas que por várias vezes também causaram minhas lágrimas, muito obrigada por isso: me faz lembrar sempre que somos humanos, que cometemos erros e que sempre (por mais que nos esforcemos pra que não) acabamos magoando pessoas que amamos.

Entendam que vocês não fazem PARTE da minha história, vocês SÃO a minha história. Alguns eu terei o prazer de continuar convivendo daqui em diante, outros passaram, mas são importantes igual. Para mim, é como se a vida fosse uma grande estrada que nos leva sabe-se lá para onde. O destino nem é tão importante... mas essas paisagens que tenho o prazer de conhecer...Ahhh, todas elas. Em algumas me demoro mais, em outras há tempo de apenas uma pequena admiração e há ainda aquelas que me acompanham durante meu caminho e que provavelmente (assim torço) estarão comigo até o fim. São vocês, paisagens, que fazem a viagem ter sentido.

Eu sei que isso tudo parece tão clichê, pode soar tão vazio e não-sincero...mas é! É muito sincero! Eu acredito em tudo isso, mesmo que ninguém mais acredite, eu ainda vou acreditar. Eu quero acreditar que não somos um sozinho, não somos nada sem aqueles que nos rodeiam, que entram e saem de nossas estradas, nos acompanham, cruzam nossos caminhos, mudam nossos rumos, que às vezes nos dão motivos para pegarmos retornos, outros nos incentivam a prosseguir.

Eu quero desejar a todos vocês que saibam aproveitar todas as paisagens da sua estrada também, que curtam o que há de melhor e aprendam com o que há de pior em cada uma delas. Que apreciem a companhia, ou mesmo a breve presença de cada uma. Espero não ter deixado marcas muito ruins em nenhum caminho, mas que se assim foi me perdoem. Eu tentei de tudo para que isso não acontecesse, mas sou humana também e –graças a Deus – não sou perfeita. Desejo ainda que curtam a viagem e não tenham tanta pressa em chegar ao seu destino: acredito que ele não será tão nobre ou grandioso como o caminho que te levou até ele.

É por isso que estou tão feliz por tê-los comigo em 2011 e mal posso esperar pra fazer a curva e entrar na estrada de 2012, conhecer as novas paisagens que estarão lá, sentir as emoções e aprender as lições que elas me trarão!

FELIZ ano novo!

Lições que ficam de 2011

1. Mesmo que o tempo passe e a distância aumente, verdadeiras amizades não se abalam.


2. É perigoso correr bêbada e de salto alto em uma rampa escura. O tombo pode ser feio.

3. Quanto mais você abre seu coração, mais fácil é de você sair machucada.

4. Nem sempre as coisas que planejamos acontecem quando queremos. Às vezes demora mais que o previsto, mas se revoltar não resolverá nada.

5. Nossa, nossa! Assim você me mata!

6. Não se deve acreditar em tudo que te dizem.

7. Pode parecer que não vai passar, que você não vai superar, que vai ser impossível esquecer, mas o tempo resolve tudo mesmo.

8. Mesmo longe, quem se importa sempre dá um jeitinho de estar presente.

9. Musica infantil é irritante PRA CARAMBA!

10. Eu sou uma estrela de luz, eu mereço ser feliz!

11. Mesmo que você se esforce, é impossível agradar todo mundo

12. A Federal é a melhor do meu Brasil.

13. Nem tudo que deveria ser simples é.

14. Não existem bares descentes abertos de segunda-feira em São Carlos!

15. Se nos livramos de nosso preconceitos e conhecermos os outros sem julgá-los, vamos perceber quanto tempo perdemos da companhia deles.

16. MST tem dupla significação!

17. Tá ruim? Espera que pode piorar.

(não necessáriamente nessa ordem)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Arrumação de fim de ano

Vou aproveitar pra arrumar a vida. Não gosto de fim de ano, tem um gosto de nostalgia, de arrependimento, de saudades. Mas adoro o que vem depois dele: o começo. Eu sei que é besteira acreditar que a mudança de um dia pro outro (que é o que realmente ocorre do dia 31 de dezembro) é capaz de mudar tudo. Mas essa crença estupida é capaz de me dar motivação.  Eu quero entrar em 2012 com a alma leve. Por isso vou por tudo no seu devido lugar.
 A começar pelos meus livros, cds, roupas, cartas antigas. Mas também vou aproveitar pra fazer uma limpa no meu coração, aquele maldito balanço que sempre se adia. É preciso se livrar de algumas coisas que não deveriam estar mais lá, livrar espaço para novos sentimentos que virão. Porque virão muitos! E eu sei que nem todos serão bons, mas pra esses eu vou deixar um espaço mínimo. Eles também são importantes pra nos fazer aprender, mas devem ter prazo de validade. Eles terão então um espacinho bem perto da saída para não se demorarem muito por aqui.
 Para o resto eu vou dispor meu coração inteiro, mesmo que ele acabe machucado depois. Cicatriz também é uma prova de sobrevivência. Eu sobrevivi a 2011 apesar de tudo. E mal posso esperar pela minha época do ano preferida! Que venha o recomeço! Eu já estou pronta agora. 

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Agora que você sabe poderia me contar!

Você sempre me perguntava porque nunca tinha dado certo com ninguém e eu nunca soube responder. Agora você sabe a resposta. Todos desistiram de mim do mesmo jeito que você: de repente, sem explicação e esqueceram de me avisar. Você deve saber o motivo. Mas eu ainda continuo não sabendo. Poderia me contar, por favor? Eu só queria entender no que estou errando!

Odeio problemas mal resolvidos e histórias mal acabadas

Mas é o que mais há na minha vida. Sempre fica alguma coisa por dizer, sempre falta algo que deveria ser feito. E fica então pairando no ar, invisivel, como se simplesmente não existisse. Mas ao mesmo tempo é tão palpável que me assombra e me atormenta, podendo cair à tona a qualquer instante. 

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Toda vez que eu me permito voar, sempre tem alguém que me puxa de volta pro chão!

A queda dói muito, mas uma hora passa. Obrigada a essas pessoas que constantemente me ensinam o perigo de sonhar. Eu ainda não aprendi a lição, mas juro que estou quase!




domingo, 11 de dezembro de 2011

Querido Papai Noel,


Você está em falta comigo, não me trouxe o que eu pedi ano passado. O que acontece, está em falta? Bom, vou reiterar meus pedidos aqui, será que dessa vez você me trará?
 Eu quero uma caixa de surpresa, daquelas que a gente pode abrir a hora em que a vida estiver mais monótona e ter a certeza que vai sair uma surpresa boa, que transformará nosso mundo para melhor. Eu quero um coração que tenha um espacinho pra mim, que me guarde com carinho e bata mais forte quando eu estiver por perto. Eu quero o dono desse coração, que fará o meu coração bater mais forte também e quem, eu juro, cuidarei muito bem.
 Eu quero menos distância e mais união. Quero menos ressentimento e mais compreensão. Eu quero um saco cheio de paciência e uma garrafa cheia de perdão.  Eu quero um descascador de abacaxis dos mais eficientes que você tiver. Aliás, eu quero menos abacaxis no ano que vem, eles andam vindo muito azedos.
 Eu quero novos caminhos, se possível com menos encruzilhadas. Mas com muitos retornos, por favor: tem paradas que valem a pena voltar e rumos que precisam ser repensados. Eu quero poder tomar mais banho de mar, ver mais o luar e escutar por mais tempo o silêncio.
  Quero ter meus amigos mais tempo por perto e aqueles que não me querem bem, o mais longe possível. Eu quero ter história pra contar, um bom tanto de gargalhadas para dividir e menos lágrimas para secar.
 Eu sei que é muita coisa. Eu sei também que eu não fui uma menina boazinha e não andei na linha. Mas porque só as boazinhas merecem? Eu também mereço alguns presentes (principalmente, esses listados acima, estão me fazendo muita falta) e me excluir da sua lista só porque não sou exatamente como querem é injustiça. Pensa com carinho. Pelo menos um pouquinho de cada coisa, pelo menos o gostinho...
 Eu vou ficar esperando, mas como eu sou legal, eu te dou o prazo de um ano. Não precisa me trazer tudo na noite de natal. Eu posso receber meus presentes distribuídos ao longo dos 12 meses.  Será que posso contar com isso esse ano?

Beijos e Bom trabalho
Amanda

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O mesmo papo de sempre

- Por que você não se rende?
- Eu tenho medo.
- De amar?
- Não, de sofrer. Pra mim, o amor sempre aparece apontando o dedo e rindo na minha cara: 'sua trouxa, eu vou te pegar mais uma vez! Mais uma vez você vai cair na minha.'
- Mas comigo vai ser diferente
- Vai sim, assim como foi com o último que me disse isso, assim como será com o próximo depois de você que me dirá isso....  Por favor, não insista...eu me envolvo fácil demais. Eu deixo as pessoas me encantarem e acho que tenho direito de amá-las e sofrer por elas.
- Mas eu não vou te fazer sofrer. Eu também estou envolvido, eu nunca conheci uma pessoa tão interessante como você!
- Desculpa...eu aprendi a não acreditar nessas palavras ditas assim todas juntas. Quando o coração já está todo cheio de buracos, nenhuma flecha consegue se fincar mais nele.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Socorro!

Tenho que confessar que eu cansei!
Cansei de um jeito que dá vontade de jogar tudo pra cima, de esquecer de mim e me enfiar embaixo das cobertas, e por lá permanecer, sem ser nada, nem esperar por nada ou por ninguém. Nem mesmo pelo tempo, porque o tempo também demora. 
Cansei de um jeito que nem os discursos "A vida não foi feita pra ser justa", "precisamos sofrer para viver de verdade", "é com os erros que aprendemos" e blablabla não são mais suficientes. Não me fazem me sentir melhor, nem mais conformada, muito menos, esperançosa.
 Cansei ao ponto de não querer mais sonhar, não criar expectativa nenhuma, não buscar por algo melhor. Cansei ao ponto de apenas me conformar e não lutar por nada, porque lutar também cansa, dói e machuca.
 Cansei ao nivel de gritar e o grito não sair, de querer chorar e as lágrimas não descerem, de querer me matar, mas descobrir que já ando morrendo aos poucos a cada dia. Cansei do nada, de tudo, de todos. Cansei de estar cansada e não saber mais o que fazer, o que falar ou como agir.
 E pensar que existem outros dias, outras pessoas, outros sonhos, outros amores e novas surpresas não me animam em nada, porque eu cansei ao ponto de não acreditar mais nisso. Cansei como se a vida fosse pra sempre sempre assim. Mesmo querendo acreditar que é só uma crise pessoal, uma vontade passageira, uma canseira que logo desaparecerá, não tá dando.
 Pode parecer clichê, drama, ou qualquer outra coisa...mas é só cansaço mesmo. Da vida. A unica coisa que eu ainda não cansei é de escrever...pelo contrário, quero fazer isso cada vez mais e mais. Como se fosse a bóia salva vidas em um naufrágio, me impedindo de afundar de vez. Mesmo perdida e boiando nesse mar sem destino, ainda resta vontade de continuar viva...esperando um resgate que talvez não chegue. Eu estou pedindo socorro, mas ninguém parece ouvir!

sábado, 3 de dezembro de 2011

Por favor, se não for pra me fazer feliz nem se aproxime,

que de decepções eu já estou transbordada!
"Só entre em minha vida se for pra deixar boas lembranças. Caso contrário, nem perca seu tempo!”

 


sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Todo mundo tem um ponto fraco. O meu é você!

 É quando a noite chega e ao entrar em casa você não está que a saudade aperta mais. Então eu lembro de todas as vezes que você chegava do serviço e eu pulava em seus braços e como era bom aquele abraço. Mas também é quando eu acordo e sei que não vou te ver que a saudade aperta. Lembro que você não está por perto e que talvez nem me lige só pra dizer oi. 
 É por todas as vezes em que eu lembro dos dias de praia e psicna, lições bobas como "como juntar as mãos e espirrar água para enganar o amigo dizendo 'olha o peixinho!'" e montes de areias que nos sujavam até a alma. Pelas artes que não fazemos mais na cozinha como um simples pires de ovo, presunto e queijo pra molhar o pão puma (a receita de familia que eu nunca mais comi). Por todas os deveres de casa que me ajudava a fazer e todas as brincadeiras que se propunha participar (até entrar em cabana de baixo da mesa). Pelos planos e sonhos que não chegamos a realizar, como o portal que desistimos de fazer.
 É pelo medo que eu tinha de dormir no silêncio que me fazia pedir antes de dormir: "fica digitando no computador até eu dormir?", só pra ouvir o barulhinho do teclado e ter certeza que você estava lá. Alias, por todas as noites que você me punha pra dormir me dando um beijo de boa noite e contando "A vaca voadora" ou murmurando a canção de ninar (mesmo quando eu mesmo me achava grandinha demais para isso).
É por toda a saudade do que poderiamos viver e não vivemos. De todas as coisas que eu queria ouvir de você e você não me diz. Por cada gesto que eu espero e às vezes nao vêm. Pela distância e pelas situações que nos deixaram tão distantes e a esperança de que logo logo melhrará. Porque por mais que doa eu nunca desisrirei de você.
 Por tudo isso você é o meu ponto fraco, a ferida que mais lateja e a lembrança que mais me dói. Mas ainda sim é o amor mais sincero que já recebi, a esperança mais bonita que alimento e o sofrimento que mais vale a pena sentir.

Love makes no sense

Paulo olhou para cima a procura dela como fazia depois de todo por do sol. E assim como esperava, ela estava lá. Ela sempre estava, mesmo quando não parecia. Era pra ele a mais bonitas de todas, em um céu repleto de estrelas, era a que mais brilhava. E Paulo sabia que já não tinha mais jeito, era impossivel negar: estava apaixonado por ela. "Apaixonado por uma estrela? Você está louco, meu amigo", muitos diziam.
 Mas é porque ninguém sabia que só para ele é que ela brilhava tanto. Ninguém mais a reconheceria, porque ela era só dele. A estrela também estava apaixonada e estava sempre a espiar por ele. Ali tão longe, encantada por Paulo, ela se iluminava ainda mais quando ele a olhava. Era o seu segredo: amar um humano, que absurdo! Mas ela sabia que não tinha mais jeito: estava sempre a esperar o momento em que ele olharia pro céu a sua procura.
 E assim os dois seguiam suas noites, a se admirarem. Consumidos e alimentados por um amor tão sincero que até dóia tamanha distânia. Conversavam durante horas, mesmo que para mas ninguém suas conversas faziam sentido. Não se importavam, o amor não fazia (nem precisava fazer) muito sentido. Só a certeza que o outro existia e que sempre estaria ali já era o suficiente.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Daqui a 30 dias

De repente já é dezembro e eu não sei se estou pronta pra "tudo de novo". Lá vem mais um punhado de novos sonhos que se realizariam no próximo ano, um tanto de promessas que provavelmente não serão cumpridas e um desejo inexplicavel e irracional de de repente achar que podemos mudar tudo que estaria errado. Dezembro chega meio que me desafogando do ano que está por acabar, mas meio que me engolindo para o ano que está por vir. E eu não sei se estou pronta.
Vai ser como sempre: "dessa vez vai ser melhor do que o que já foi, pior do que o que virá...dessa vez eu não vou me esconder, eu não vou fugir, eu vou é tentar lutar", virá então o dia-a-dia...janeiro passa logo e logo também acabará essa vontade de ser um outro ser, como se pudessemos nos reiventar de novo a cada inicio de ano.
Dezembro está aí anunciando que daqui a 30 dias algo mágico acontecerá. O que é que acontece nesses 30 dias que são capazes de nos trazer tanta angustia, ansiedade, nostalgia, saudades, esperança..tudo numa onda só? Para onde será que essa onda nos arrastará? É só mais um mês, uma folha do calendário e só mais 30 dias....e eu não estou pronta pra o que pode vir depois dele.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Vontades

Eu tenho vontade de gritar, mas sempre me falta ar. Muitas vezes eu tenho vontade de admitir, mas a coragem nunca me aparece. Também tenho vontade de xingar, mas a educação me impede. Às vezes eu tenho vontade de mentir, mas o medo me segura (o mesmo medo que também reprime a minha vontade de falar a verdade).
 Tenho vontade de voar entre as nuvens, mas a gravidade me puxa para o chão. Vontade de espiar estrelas, mas muitas vezes as luzes as ofuscam. Vontade de viver no mundo da lua, mas a realidade não me permite. Eu tenho vontade de experimentar gostos que não existem, de ouvir palavras que as pessoas não dizem e conhecer pessoas que não se aproximam de mim.
 E tenho muita vontade de amar e acreditar no amor, mas por tantos motivos, tantas feridas e decepções, fica mesmo só na vontade.
 O irônico de tudo isso é que eu ODEIO passar vontade!



terça-feira, 22 de novembro de 2011

Sem aviso

Você podia pelo menos ter me avisado que estava indo embora, que decidiu desistir de mim e não queria me ver mais. Odeio partidas sem despedidas ou avisos. Eu prefira ter a certeza da sua ausência do que esse silêncio que você resolveu manter! A dúvida dói muito mais que aquela verdade que é dita como um tapa na cara. Do tapa a gente se recupera, mas da dúvida..ah, essa gosta mesmo de torturar lenta e profundamente!

Estou cansada de ser educada com todo mundo o tempo todo...

... é a minha pior qualidade! As pessoas educadas demais sempre se ferram, fato comprovado por mim mesma!

domingo, 20 de novembro de 2011

A moça de sorriso aberto

http://www.tumblr.com/reblog/12755499865/az5J1UM0?redirect_to=%2Fdashboard
Ninguém sabe o quanto a moça de sorriso aberto chora por dentro. Todos admiram-a, cobiçam-a e elogiam-a, mas ninguém tem idéia do quão feia ela se sente. Porque apesar de todos a olhorem e dizerem doces palavras, ninguem jamais se prestou a cuidar de seu coração. Nunca se preocuparam em fazê-lo bater feliz e não machucá-lo.
 Sempre dizem o quão especial é, mas a esquecem com uma facilidade! E então ela é obrigada a esquecer também...mas continua sorrindo como se nada tivesse acontecido. E esse sorriso magoado e desiludido parece atrair ainda mais olhares.
Ninguém tem dó da moça, não? Uma hora ela vai cansar de sorrir...

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

O que precisava ser dito

Depois de dias distantes, os dois se olharam e perceberam que algo precisava ser dito. Não dava mais pra disfarçar e fingir que nada estava acontecendo. Estava acontecendo muita coisa, sem acontecer nada.

- Eu bem que queria quebrar a sua cara e acabar com a sua raça! - ela decidiu tomar a iniciativa 
- Por quê? O que eu fiz? - não era isso o que esperava ouvir.
- Entrou na minha vida! E depois disso eu perdi minha concentração, meu juízo, minha liberdade. Você invadou meus pensamentos, roubou minha atenção e me jogou um encantamento. Porque você tinha que ser tão traiçoeiro comigo? Eu estava quietinha no meu canto,eu achava que a vida era boa no ritmo monotono que era, mas aí você decidiu que queria me conhecer! E nem pra me conhecer direito! Não percebeu ainda que você me tem nas mãos? Vai me deixar escapar mesmo? Você não devia desistir de mim tão rápido...
- E quem disse que eu pretendo dessitir?

 ...

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Vingança é um drink que se bebe gelado

Estavam as duas sozinhas em casa. Amigas a algum tempo, se reuniram pra colocar o papo em dia. Alice preparava as margueritas na pia da cozinha enquanto Julia sentada na sala lhe indagava:
- Então, como está o casamento!?
- Melhor impossivel - mentiu Alice - Mas e você, como está os amores?
- Amores? Qual? Alice, eu não tive a mesma sorte que você teve de encontrar o principe encatado. Você deve se sentir uma rainha com ele!
- É me sinto mesmo - apareceu sorrindo - Aqui está seu drink. - disse entregando-lhe a marguerita que trazia da cozinha.
- É tão bom ter vindo aqui. Eu sinto tanta a sua falta!
- Eu também Julia, fiquei feliz quando aceitou meu convite. - Você nem imagina o quanto!
- Vamos brindar a nossa amizade então!
- À nossa amizade! - ergueram as taças e se encararam. Hesitaram e permaneceram assim estáticas e caladas por um tempo- Vamos beber então!
Aos poucos deixaram a bebida descer pelas suas gargantas. Gelado. Chegava a hora que Alice tanto planejara. Ficava imaginando a sensação que Julia sentiria logo mais. O pequeno veneno invadindo-a e corroendo-a por dentro...será que doeria do mesmo jeito que a traição doia nela? Estava até sem ar pensando no efeito de sua vingança. Parecia que havia parado de respirar...
 Mas algo estava errado. Alice caiu do sofá e agora levava uma mão em sua garganta e outra estendia a amiga pedindo socorro....mas a outra continuava parada, sorrindo. Devagarinho, saiu do sofá e ajoelho-se ao seu lado:
 - Você se achava tão esperta, não é? O truque do veneno no copo? Sério? Você é patética! Por isso que EU fui a outra durante tantos anos. Burra! Não percebeu quando perdeu seu marido pra mim. Nem percebeu que eu descobri que você havia descoberto tudo e que ia me matar. Mas eu achei que pelo menos a troca das taças você ia perceber. Não sentiu nem um gosto diferente?
 Não havia sentido. E agora não sentia mais nada. A raiva, a dor, o medo...tudo invadia-a sem ao menos darem tempo para serem percebidas. Também já não via mais nada e a ultima coisa que escutou foi aquela voz sussurada ao pé de seu ouvido:
- Então, que gosto tem a morte?

domingo, 6 de novembro de 2011

Acorda Alice!!

http://curiosochiko.blogspot.com
 O mundo não é essa maravilha que você sonha. Você por muitas vezes será pequena ou grande demais para algumas situações, mas ninguém lhe oferecerá um pedaço de cogumelo que possa te modificar (quer dizer, até podem sim, mas NÃO aceite!). Não perca muito tempo correndo atrás desse coelho branco porque no final você vai acabar descobrindo que ele é só uma amardilha pra te levar pro mal caminho. Alias, existem muitos desses coelhos por ai afora que vão cativar sua atençao e leva-la pra toca deles. Mas lembre-se: é armadilha, cuidado. E também não dispense sua atenção com gatos que possam aparecer em seu caminho, só querem te confundir mesmo, não caia na lábia deles não. E esses malucos que cruzarem seu caminho? Bom, esses vão ser o que menos te farão mal, mas presta atenção pra não passar a vida comemorando e esquecer de viver com os pés um pouco no chão. Os seus problemas (acredite, serão muitos) não se resolverão com uma xicara de chá - nem com qualquer outra bebida!
 O sonho tá bom aí embaixo dessa árcore, mas acorda Alice que a vida tá passando. Ah, só não se engane achando que ao acordar conseguirá fugir da rainha de copas: o mundo está cheio delas que estarão correndo atrás de você e desejando corta-lhe a cabeça.

sábado, 5 de novembro de 2011

É assim que se faz

Se estiver chato, a gente agita. Se faltar música, a gente canta. Se não tiver sol, a gente dança na chuva. Se não existir felicidade, a gente inventa. Se existir um abismo, a gente cria asas. Se colocarem regras, a gente as quebra. Se tiver um muro, a gente abre uma porta. Se der medo, a gente respira fundo e fecha os olhos. Se estiver errado, a gente arruma. Se estiver tudo muito certo, a gente revoluciona. Se nos condenarem, a gente arranja habeas corpus. Se a queda parecer alta demais, a gente arranja uma cama elástica. Se machucar com um beijinho passa. E se no final de tudo a vida ainda parecer azeda como limão, a gente junta gelo, açucar e pinga e transforma em caipirinha!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Indiretas


Eu odeio indiretas. Apesar de passar milhares delas eu sou péssima pra percebê-las. Fico pensando: o que essa pessoa quer dizer com isso? Imagino mil histórias, formulo mil hipóteses e não chego a lugar nenhum. Se alguém está tentando me dizer algo, diga!! Eu não tenho medo das verdades, pelo contrário, eu tenho medo de não descobri-las. Se está esperando eu me tocar, eu não vou me tocar. Eu sou EXTREMAMENTE desligada. Minha cabeça está mais na lua do que em cima do meu próprio pescoço. Reparo mais nas estrelas do que no meu próprio caminho. Você não têm ideia quão longe eu vou sem sair do lugar. Por isso é tão difícil pra mim o quis dizer. Quem quis dizer não disse!! Diga! Afinal a gente pode controlar o que fala, mas não o que o outro entende. É melhor então deixar bem claro.
http://jujumundo.blogspot.com/

 Tá bom, olha quem tá falando... vou tentar me livrar das minhas indiretas também. Vou tentar...mas é que elas me protegem tão bem! Não....não...quem quer dizer não diz nada...eu vou me livrar delas...Você consegue se livrar das suas também?  

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Antes da meia noite

 Antes que o dia acabe eu ainda estou aqui esperando você. Eu sei que provavelmente você não vai aparecer, afinal você deixou bem claro: 'se der', e eu sei que isso é um não disfarçado, mas a simples possibilidade do talvez, a pequena esperança que você deixou nesse se der ainda não me deixou pegar no sono. Eu já arrumei a casa, já me enfeitei pra você, fiz seu bolo preferido e roi todas as unhas que tinha. E depois de zapiar todos os canais da TV e as milhares de músicas do meu computador só sobraram a angustia, que nesse momento, começa a tomar conta de mim.
 Se der. Quer dizer que não deu. Quer dizer que a sua mulher decidiu não sair com as amigas, ou preferiu ficar em casa acordada até mais tarde. Pior, ela deve estar agora com você nos braços tentando retomar o lugar que eu assumi em sua vida. Eu sempre pensei que ser a outra nunca me faria mal... Mas é ela quem está com você agora. Sou eu quem está se sentido traída. Por que mesmo você ainda não largou dela?
 Olho o celular só por desencargo de consciência: ele pode ter tocado e eu não ouvi. Mas nada. Nada de ligações perdidas, nada de mensagens. Nem um 'desculpa' esfarrapado. Nenhuma satisfação. Ok, nós prometemos nenhum compromisso, nenhuma cobrança...Mas o seu sorriso, o seu beijo, as suas palavras... Eu não consigo resistir mais. Eu quero ter você só pra mim, dividir dá muito trabalho, e ultimamente anda doendo muito.
 Dois toques de leve na porta me despertam do meu devaneio. Pulo imediatamente do sofá  pra abrir a porta:
- Eu pensei que você não vinha mais!!
- Eu não venho mais!
- Como assim?
- Eu não posso largar dela. Ainda a amo. - pareceu uma faca atingindo meu peito.
- Desde quando?
- Desde sempre. Eu só não tinha percebido isso antes.
 Mais uma vez. Mais uma vez largada por outra. Senti que as lágrimas brotavam dos meus olhos e estavam prestes a desmoronar pelo meu rosto. Mas cansei de ser frágil, de ser a coitada. Muitas coisas me vieram a cabeça mais nada conseguia sair pela minha boca. Apenas limpei o rosto com as costas da mão e o convidei para entrar:
- Acho que precisamos conversar.
Ele concordou, sentou no sofá:
- Só um minuto, já volto. – Fui até a cozinha, abro todas as gavetas suavemente, olho para o armário procuro algo por lá também. Retorno a sala.
- Não tem como voltarmos! – ele me disse, eu apenas balanço a cabeça
- Eu sei. Eu só queria que você se sentisse por um momento como eu me sinto – levantei e com toda a força que tinha enfiei uma faca em seu coração. Vi meu sofá branco ganhar colorações avermelhadas. Ele me olhava com piedade. Agora sim era justo, ele estava sentindo como eu estava me sentindo por dentro: morta.
http://sonhosdeamanda.blogspot.com
Sento de frente do sofá e fico admirando a cena, todos os meus sofrimentos vão embora. Antes dele dar o último suspiro caminho até ele:
- Eu te amo. É ruim isso acabar assim, mas era a única solução. – Vou até o terraço ascendo um cigarro e pego meu celular.
- Residência dos Smiths, quem fala?
- Eu.. eu acabo de matar o Sr. Smiths. – ouço um sonoro tu do outro lado da linha. Vou terminar essa caixa de cigarros e depois penso no que irei fazer daqui para frente. Eu morri, era justo ele morrer também.
...
Texto em co-autoria com Pâmela Rosin!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Paranoias


http://icomezz.tumblr.com/page/4
Um dia eu vou ser atropelada. Um raio vai cair na minha cabeça. Todo cara que eu estiver gostando vai conhecer uma garota mais interessante do que eu. As pessoas que não falam mais comigo não lembram quem eu sou. Eu nunca vou ser magra.  Meu notebook vai dar algum problema assim que eu acabar de paga-lo e sair da garantia. Eu sempre passo despercebida nos lugares. Minha casa vai ser invadida quando eu estiver sozinha nela. Ninguém se interessa pelo que escrevo. Ninguém nem lê o que eu escrevo. Ninguém acha interessante o que eu falo. Todo mundo me acha chata. Eu sou ridícula dançando.  Eu nunca vou ter habilidade pra dirigir um carro. O despertador não vai tocar e eu vou perder a hora. Nenhum garoto nunca vai se apaixonar por mim. Alguém suspeito está passado na rua e ele tem uma arma pra me assaltar. As pessoas um dia vão se cansar de mim. O elevador vai quebrar e cair no poço...
Não, eu não sou paranoica... só um pouco perturbada como todo mundo! Afinal, quem não tem algumas dezenas de paranoias pra chamar de suas?

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Novos planos

http://i-can-never-make-up-my-mind.tumblr.com/page/5
Eu tinha outros planos pra mim. Estava conformada com o rumo que a minha vida estava tomando. Eu estava mesmo, porque eu não sou uma pessoa revoltada. Não sei fazer escandalos, bater o pé e fechar a cara quando nada está bom. Eu simplesmente me conformo.
 Mas então de repente tudo está mudando de novo, tomando novos rumos. E parece que está tão melhor, tão claro, eu me sinto tão diferente. Porque é que eu não vi tudo isso antes? (:

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

"Tenho andado distraído, impaciente e indeciso E ainda estou confuso. Só que agora é diferente: Estou tão tranquilo e tão contente. "

http://weheartit.com/entry/16959901
 Eu não sei o que fazer da minha vida. Acho que ando complicando tudo aquilo que deveria ser tão simples e achando simples tudo que na verdade é complicado demais. Eu ando me desesperando por pouco, mas ao mesmo tempo estou sossegada demais para me desesperar com coisas realmente importantes. E isso tudo torna meu tempo tão vagaroso e veloz. São contradições que eu não sei explicar ao certo, mas a verdade é que acontece tanta coisa e ao mesmo tempo nada acontece. Os dias se arrastam dolorosamente, mas o ano passa tão rápido.
E depois de todo esse tempo eu nem ao menos sei dizer quem eu sou, o que eu quero, do que eu gosto. Em pouco tempo tenho tido pensamentos tão diversos e acolhido gostos tão diferentes. Eu resolvi de repente, com uma certeza que não é minha, de que precisava mudar. E algo me diz que eu estou tomando o caminho certo. Mas confesso que ando com medo, com um pé atrás e não consigo simplesmente mergulhar de cabeça e me deixar levar. Algo me diz que é isso que eu devia fazer. Mas e se essa correnteza for forte demais para mim? E se ela me levar por um caminho do qual eu não consiga voltar?
E apesar de estar tão confusa, impaciente e distraida, eu estou feliz. Pode não parecer, mas estou. Feliz sem saber explicar o porque e provavelmente de um jeito que ninguem diga que estou (talvez esteja guardado essa felicidade muito para mim com medo que ela vá embora). Essa incerteza e essa indecissão estão me consumindo e me matando, mas também são o que estão me deixando mais viva do que nunca. Agora eu sei que eu tenho muita coisa pra descobrir e questionar. Porque eu decidi que não quero viver no piloto automático, mesmo que seja mais fácil. Eu vou parar de fazer as coisas por inércia. Vou encarar as temidas mudanças e torcer pra que dê tudo certo!