segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Vingança é um drink que se bebe gelado

Estavam as duas sozinhas em casa. Amigas a algum tempo, se reuniram pra colocar o papo em dia. Alice preparava as margueritas na pia da cozinha enquanto Julia sentada na sala lhe indagava:
- Então, como está o casamento!?
- Melhor impossivel - mentiu Alice - Mas e você, como está os amores?
- Amores? Qual? Alice, eu não tive a mesma sorte que você teve de encontrar o principe encatado. Você deve se sentir uma rainha com ele!
- É me sinto mesmo - apareceu sorrindo - Aqui está seu drink. - disse entregando-lhe a marguerita que trazia da cozinha.
- É tão bom ter vindo aqui. Eu sinto tanta a sua falta!
- Eu também Julia, fiquei feliz quando aceitou meu convite. - Você nem imagina o quanto!
- Vamos brindar a nossa amizade então!
- À nossa amizade! - ergueram as taças e se encararam. Hesitaram e permaneceram assim estáticas e caladas por um tempo- Vamos beber então!
Aos poucos deixaram a bebida descer pelas suas gargantas. Gelado. Chegava a hora que Alice tanto planejara. Ficava imaginando a sensação que Julia sentiria logo mais. O pequeno veneno invadindo-a e corroendo-a por dentro...será que doeria do mesmo jeito que a traição doia nela? Estava até sem ar pensando no efeito de sua vingança. Parecia que havia parado de respirar...
 Mas algo estava errado. Alice caiu do sofá e agora levava uma mão em sua garganta e outra estendia a amiga pedindo socorro....mas a outra continuava parada, sorrindo. Devagarinho, saiu do sofá e ajoelho-se ao seu lado:
 - Você se achava tão esperta, não é? O truque do veneno no copo? Sério? Você é patética! Por isso que EU fui a outra durante tantos anos. Burra! Não percebeu quando perdeu seu marido pra mim. Nem percebeu que eu descobri que você havia descoberto tudo e que ia me matar. Mas eu achei que pelo menos a troca das taças você ia perceber. Não sentiu nem um gosto diferente?
 Não havia sentido. E agora não sentia mais nada. A raiva, a dor, o medo...tudo invadia-a sem ao menos darem tempo para serem percebidas. Também já não via mais nada e a ultima coisa que escutou foi aquela voz sussurada ao pé de seu ouvido:
- Então, que gosto tem a morte?

2 comentários:

Pâmela Rosin disse...

"Tem gosto de vingança, arrependimento, verdade, ódio e até amor. A morte pode ser bem saborosa, afinal eu sou muito boa."

A Morte sobre qual o gosto de morte.

verbeincarne disse...

ahhhque bafão!!! Ela pegava o marido da outra O_O" BAFÃO vou contar no face HUAHUAHUAHUAHUHUAHUA
matar com veneno é coisa de mulherzinha huahuahuahuahuahua XD